Yoga. Espiritualidade. Corpo.
Header

Adho Mukha Svanasana por BKS Iyengar

outubro 28th, 2010 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Adho Mukha Svanasana por BKS Iyengar)

Assista o próprio Iyengar executar e explicar as ações de Adho Mukha Svanasana ou “Postura do cachorro”.

Olhe bem e tente reproduzir um detalhe qualquer que tenha lhe chamado mais atenção da próxima vez que fizer Adho Mukha Svanasana.

Eu vou tentar esticar meus braços como ele…prometo!

httpv://www.youtube.com/watch?v=tdZ90iae2vY

A importância (ou não!) do seu tapete de yoga

outubro 26th, 2010 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em A importância (ou não!) do seu tapete de yoga)
manduka mat

manduka mat

Durante a semana, li dois artigos sobre o uso dos tapetes de yoga.

O primeiro foi no New York Times – Yoga onde se discute a importância e a necessidade real do tapete na nossa prática diária. O outro dizia que o tapete virou um símbolo de status dentro do segmento “yupppie” americano e criticava os preços astronômicos que algumas marcas podem alcançar.

A princípio, considerando que nunca pratiquei sobre um Manduka Mat, tendo a concordar que o valor de US$100.00 por um tapete de yoga (ou até US$ 2100.00 pelo Louis Vuitton!) não é lá muito razoável. Mas eu não seria tão radical a ponto de abolir o tapete da minha prática.

Motivos para usar o tapete de yoga

Vejo o tapete, especialmente quando somos iniciantes, como um acessório importante. Além de facilitar o alinhamento, ele oferece maior aderência, conforto, segurança e higiene (se você tiver o seu, é claro!).  Na medida que avançamos na prática e controlamos com maior clareza as ações dos asanas, tornando-os então mais estáveis e equilibrados, podemos prescindir do tapete…

Nos lugares aonde tenho ido praticar, não senti essa competição entre marcas “fashion” de tapetes. Nem aqui, nem lá fora. É possível, no entanto, que algumas linhas de Yoga abram mais espaço para essa comparação naturalmente por promoverem a transpiração excessiva de seus praticantes, fato que talvez torne a qualidade do tapete item fundamental e digno de vultoso investimento.

Porém, às vezes, é simplesmente difícil resistir ao impulso consumista…

Vou contar uma historinha sobre um dos meus primeiros tapetes. Há anos atrás, fiz uma aula no Jivamukti em Nova York. Lá chegando, vi um tapete lindo! Era de um tom coral maravilhoso, continha fibras naturais em sua trama, bem espesso e fofinho. Não resisti e acabei comprando o maior de todos.

Depois que aqui cheguei, comecei a praticar com ele. Notei que escorregava um pouco, mas eu insisti. Afinal, como eu poderia dispensar um tapete que havia comprado em Nova York?!

Sendo o meu tapete habitual de prática, levei-o para um workshop de Iyengar Yoga com a professora Gabriela Giubilaro. Justo sobre ele a professora Gabriela começou uma explicação sobre Adho Mukha Svanasana. Assim que ela iniciou a postura, exclamou: “Que tapete horrível! Você deveria jogá-lo no lixo! Como escorrega!” e foi fazer a postura no tapete simples e comum do vizinho.

Moral da história: bem, como o objetivo deste blog não é dar lição de moral para ninguém, que cada um tire (ou não!) a sua…

Yoga e pilates para descansar o corpo do excesso de atividades físicas

outubro 19th, 2010 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Yoga e pilates para descansar o corpo do excesso de atividades físicas)

Pegando emprestado o jargão do mundo “fashion”, a nova tendência fitness é o uso de pilates, yoga e exercícios cardio para descanso daqueles que malham demais.

Se você é do tipo que frequenta a academia diariamente, corre, pedala, nada…já deve ter aprendido a importância do descanso para recarregar e restaurar suas energias.

Para alguns, como o repórter do New York Times autor da matéria “Pilates and Exercises help those who overdo workouts” (“Pilates e exercícios ajudam aqueles que se exercitam demais”), parar por um dia na semana é o suficiente…ou era! Aulas saindo do forno específicas para relaxamento dos super atletas urbanos estão ganhando muitos adeptos e demonstrando que exercícios corretos e específicos podem ser mais eficientes na restauração do sistema físico do que o repouso absoluto.

Se descansar, relaxar, desestressar mente e corpo fosse fácil, bastando se sentar em frente à TV em um sofá bem macio, tudo estaria resolvido. Fato é que o mundo real não é assim. Não é verdade que, às vezes, acordamos já cansados, indicando que a noite de sono não foi reparadora?

No Iyengar Yoga, há aulas chamadas restaurativas. Não necessariamente elas são suaves e lentas do início ao fim. Neste tipo de aula, o descanso que se busca é completo e pleno, atingindo órgãos e tecidos internos, articulações, músculos e pele. Para alcançar este descanso profundo, podemos, além de praticar ativamente as posturas, usar o suporte dos acessórios para seguirmos um trabalho de reparação passiva.

Ultraman
Ultraman

O que eu sinto nas aulas restaurativas é que elas me reenergizam, me restauram…eu saio com mais disposição do que entrei.

Traduzindo para uma linguagem mais simples, infelizmente somente para aqueles com mais de 40 anos: lembram-se do Ultraman e da sua luzinha piscando? Se ele somente se sentasse a luzinha continuava piscando…ele tinha que voar perto do Sol para se recarregar….bem, é mais ou menos isso.

Exercícios de yoga e suas categorias – terceira e última parte

outubro 14th, 2010 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Exercícios de yoga e suas categorias – terceira e última parte)
suptabaddhakonasana

Supta Baddhakonasana

Na última parte de nosso estudo dos exercícios de yoga, chegamos às posturas abnominais. Um abnome forte é necessário não só para uma postura correta como para a saúde dos órgãos internos. A importância da firme sustenção abdominal é indiscutível e deve ser trabalhada continuamente. Contudo, no Iyengar Yoga, recomenda-se que esse trabalho seja feito após e paralelamente à introdução e à prática das posturas invertidas. Alguns exemplos de asanas abdominais são Urdhva Prasarita Padasana e Supta Padangusthasana.

As posturas de extensão para trás ou retroflexões são um desafio e não devem ser praticadas indiscriminadamente. Nossa coluna não tem o hábito de se estender para trás durante o nosso dia-a-dia. O aprendizado desse rejuvenescedor, embora incomum, movimento da coluna deve ser feito com critério, estudando-se as posturas em ordem crescente de dificuldade. É  necessário ter desenvolvido pernas e braços fortes para podermos executá-las de forma segura e benéfica. Chaturanga Dandasana, Urdhva Mukha Svanasana e Urdhva Danurasana são asanas de retroflexão

Para ajudar o corpo a recarregar a energia, recorremos às posturas restaurativas. Com o objetivo principal de descansar o corpo orgânico, esta subclasse de posturas proporciona, fundamentalmente, espaço e tranquilidade para que os órgãos recebam oxigênio e nutrientes, recuperando, desta maneira, todo o sistema. Nestas variações, utilizamos inúmeros acessórios como auxílio para que o corpo se energize passivamente e eficazmente. Supta Virasana, Supta Baddha Konasana(foto) e Savasana são três exemplos de posturas restaurativas.

Aqui, não devemos deixar de mencionar a sequência de asanas denominada Surya Namaskar. A sua prática diária constrói um corpo alerta, móvel, ágil e livre. Usualmente, repete-se a sequência 12 vezes, saudando o Sol em cada uma delas.

Finalmente, a minha motivação ao escrever os três artigos sobre “Exercícios de yoga e suas categorias” foi estabelecer a classificação das posturas em grupos distintos. Principalmente, porque este é o primeiro passo para podermos entender como construir séries benéficas e adequadas para nós e para nossos alunos.

foto: www.yogaon7th.com

Certificação de Iyengar Yoga: fracasso e êxito

outubro 7th, 2010 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Certificação de Iyengar Yoga: fracasso e êxito)

Este artigo é dedicado especialmente àqueles que estão a caminho dos exames de certificação em Iyengar Yoga deste ano.

O período tumultuado e de crescente expectativa que se segue até o início de novembro não é fácil.

Todas as horas de prática, o dinheiro investido, a possibilidade do fracasso, o medo de ser avaliado e expor seus defeitos, a insegurança quando comparamos a nossa prática com a dos outros candidatos… formam uma etérea trama que permeia e se mistura a nossos pensamentos até o dia da prova. Claro que para uns essa trama é mais marcante. Porém, ela está lá. Para todos.

No meio de tão inquieta e apreensiva época, indico um excelente texto em espanhol, bem fácil de ser lido, “Exames de certificação em Iyengar Yoga: fracasso e êxito” , escrito pelo responsável pelos exames de certificação no Reino Unido, Alan Brown.

E para não esquecermos de que estamos falando de um processo que acontece dentro da sutil e sublime filosofia do Yoga, segue uma frase da Bhagavad Gita:

“Você tem o domínio sobre os feitos apenas da sua responsabilidade,

mas não o controle ou a reivindicação de seus resultados.

Os frutos do trabalho não devem ser seu motivo,

e você nunca deverá ser inativo.”


Bhagavad Gita
(2.47)

Exercícios de yoga e suas categorias – parte II

outubro 5th, 2010 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Exercícios de yoga e suas categorias – parte II)
sirsasana

Sirsasana

Seguindo a nossa lista de posturas e dando prosseguimento ao último artigo Exercícios de yoga e suas categorias – parte I, chegamos às posturas de extensão para frente.

As extensões para frente são aquelas onde o tronco é flexionado sobre as pernas. A denominação “extensão” é muito útil, pois agrega à noção de levar o tronco sobre as pernas a ideia de alongar ou estender a coluna para isso, evitando assim a compressão não só da coluna, mas também do abdome. Algumas das extensões para frente são Paschimottanasana, Upavistha Konasana e Janu Sirsasana.

As extensões laterais ou torções da coluna são de valor inestimável para aumento da mobilidade das vértebras. Importante dizer aqui que as torções devem ser feitas usando o mesmo conceito das extensões para frente: primeiro estender a coluna, ganhar espaço e depois torcê-la. Bharadvajasana e Ardha Matsyendrasana são exemplos de extensões laterais.

Ao fortalecer os músculos e articulações com as posturas em pé e sentadas, e com as extensões para frente e laterais, vamos preparando o nosso corpo para as posturas invertidas.

Talvez sejam as posturas invertidas as que primeiro vêm à mente quando pensamos em Yoga. As belas posturas invertidas são joias preciosas que herdamos dos antigos mestres. Suas propriedades são inúmeras, desde um trabalho muscular, esquelético e fisiológico diferente de tudo a que estamos acostumados, passando, muitas vezes, pelo duro aprendizado de lidar com nossos medos, até o fortalecimento da nossa força de vontade e de nosso equilíbrio emocional.

As posturas invertidas principais são Sirsasana (foto), Sarvangasana e Halasana.

Na semana que vem, encerraremos nossa conversa sobre as diferentes categorias de posturas de yoga com as abdominais, as extensões para trás e as restaurativas.