Yoga. Espiritualidade. Corpo.
Header

Como o Yoga pode destruir seu corpo

fevereiro 28th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Como o Yoga pode destruir seu corpo)

Não se assustem! O título acima não é de minha autoria.

Ele pertence ao artigo do jornal americano The New York Times, “How Yoga can wreck your body“, publicado em 05 de janeiro de 2012 e causador de grande polêmica na comunidade iogue mundial.

Segundo o artigo, os gurus que divulgaram com tanto entusiasmo as habilidades do Yoga em acalmar, fortalecer, equilibrar e até em curar falharam em não fazer menção aos potenciais efeitos prejudiciais da execução de asanas (posturas físicas). No artigo são mostrados dois ou três casos de alunos que se lesionaram durante as aulas e alguns dados tendenciosos. Dizer que as lesões ocorridas nas aulas de Yoga nos últimos anos aumentaram não é nada espantoso dado o enorme aumento de praticantes.

Inclusive, sobre o próprio BKS Iyengar, o jornalista cita, como exemplo, seu livro “Light on Yoga” onde ele ensina Sarvangasana (invertida sobre os ombros). No livro, Iyengar incentivaria a todos a praticar a postura flexionando o pescoço em um ângulo de 90 graus em relação ao tronco, fato que causaria lesões importantes na coluna cervical.

Afinal, o Yoga pode ser perigoso para seu corpo? Sim. Desde que mal ensinado e mal assimilado (e eu me pergunto: será que alguém não sabia disso ainda?)

Há professores que não estão preparados, que fazem formações em alguns fins de semana, que não aprofundam seus estudos e, inclusive, nem praticam. Ainda mais quando o mercado potencial é promissor e estúdios e academias, grandes e pequenos, contratam qualquer um para dar aulas de Yoga…até professores de Educação Física sem qualquer tipo de formação reconhecida no assunto.

Da mesma forma, há alunos que não ouvem o que é ensinado, que entram em competição com os demais da turma, que não respeitam seus limites na busca pela execução perfeita do asana e se comportam na aula como se estivessem fazendo uma aula de alongamento.

Sobre a questão de Iyengar não mencionar os perigos de Sarvangasana em seu livro, lembro que, como toda a tradição indiana, ao contrário do costume ocidental, a maior parte da transmissão do conhecimento é baseada na oralidade. Há décadas Sarvangasana é ensinada com suporte pelos professores certificados. De qualquer forma, Iyengar, no livro, indica a ação de levar o peito na direção do queixo e não o contrário…isso por si só alivia bastante a sobrecarga no pescoço pois obriga a ativação de braços, peitorais e costais no erguimento do tronco.

O processo cognitivo, segundo a própria filosofia indiana, se baseia em um tripé: o conhecimento, o conhecedor e o conhecer em si.

Julgar o valor de um conhecimento pelo conhecedor ou pelo ato de conhecer, embora seja uma atitude compreensível e natural, não é válida, para mim, como avaliação definitiva.

Lamento a significativa quantidade de pessoas que certamente se sentirá impelida a não procurar ou interromper as aula de Yoga por causa desse artigo.

E, para esses, deixo uma sugestão: pergunte a seu professor qual sua formação, qual o seu mestre e pesquise na Internet. Quando achar um professor estudioso que siga um mestre de excelente reputação, faça então a sua parte: respeite seus limites. A prática do Yoga é individual e exige sua total presença. Quanto mais evoluir, maior a sua presença será necessária.

Para outros artigos sobre o assunto, sugiro que acessem os links na nossa página Aulas de Yoga no Facebook.

Swati Chanchani pela primeira vez no Brasil

fevereiro 24th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Swati Chanchani pela primeira vez no Brasil)

IM-PER-DÍ-VEL!

Todas as informações abaixo. Contato: info@centroiyengaryoga.com.br

As origens do Yoga

fevereiro 22nd, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em As origens do Yoga)

Vídeo com Georg Feuerstein sobre as origens do Yoga.

httpv://www.youtube.com/watch?v=ua17Cw75uas

Sadhana por Geeta Iyengar

fevereiro 16th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Sadhana por Geeta Iyengar)

Neste vídeo, Geeta Iyengar discorre sobre o que é sadhana.

A tradução mais comum de sadhana é prática.

BKS Iyengar, em seu livro “Light on Life“, define sadhana como a maneira de se atingir um objetivo. No caso específico do Yoga, este objetivo é a autorrealização.

httpv://www.youtube.com/watch?v=iqtXB0fiU4U

Cientistas tentam provar que emoções positivas fazem bem à saúde

fevereiro 15th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Cientistas tentam provar que emoções positivas fazem bem à saúde)

Assistam o documentário do canal GloboNews “Cientistas tentam provar que emoções positivas fazem bem à sáude”. O programa dura 23 minutos.

A interessante pesquisa está sendo feita na UFRJ no departamento de Neurobiologia e Biofísica.

Alguns destaques:

Pessoas acostumadas a dar e receber carinho respondem mais rapidamente aos estímulos positivos.

A inclusão social traz segurança e diminui muito a tensão e os efeitos nocivos relativos a ela.

O combate ao isolamento social deve ser constante e tratado como ação preventiva de saúde.

 

 

 

O significado do Yoga

fevereiro 15th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em O significado do Yoga)

Vídeo curtinho com a participação de alguns convidados ilustres que falam rapidamente sobre a filosofia do Yoga. Na verdade, este vídeo é o trailer do filme Yoga Revelado, o qual já mencionei em artigos passados.

Destaco, em especial, o depoimento de Edwin Bryant, autor de uma nova e excelente edição de “Yoga Sutras de Patanjali“.

httpv://www.youtube.com/watch?v=HZ8HKa_KVX8

 

Página atualizada de cursos de Iyengar Yoga no Brasil em 2012

fevereiro 11th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Página atualizada de cursos de Iyengar Yoga no Brasil em 2012)

Os cursos e workshops do primeiro semestre com professores estrangeiros de Iyengar Yoga no Brasil já estão listados na página CURSOS do nosso blog.

Acessem, divulguem e prestigiem!

 

Restaurante vegetariano em família

fevereiro 9th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Restaurante vegetariano em família)

httpv://www.youtube.com/watch?v=ac87CrPEz1U

Adoro viajar! As configurações planetárias do meu mapa astral certamente vieram sobrecarregadas com este desejo. Ampliar os horizontes e ver que existe vida além da sua casa, da sua cidade, do seu país sempre é engrandecedor e fonte de mudanças e investigações íntimas.

No rol das novas descobertas, tive uma supresa muito boa! Consegui levar toda a minha família para comer em um restaurante vegetariano! Situação totalmente inusitada para nós…

Estávamos em NY e sugeri que almoçássemos no ótimo restaurante GOBO. Todos adoraram! Bem, para falar a verdade, meu filho de doze anos, o maior opositor à ideia, reclamou, reclamou, mas acabou saindo de lá bastante satisfeito com algumas porções de pasteis recheados com legumes e regados por um molho divino além de outros quitutes!

Que comida deliciosa…

Porém, mais do que a refeição irretocável, a aceitação de todos diante da minha escolha me fez sentir muito bem e em paz.

Tornar-se o único vegetariano dentro de uma família meio mineira, meio alemã não é das tarefas mais fáceis…

Falando de vegetarianismo e das dificuldades de tornar-se um, trago um animal que me fascina imensamente por sua docilidade e beleza…o urso panda! Carnívoro de origem, ele se adaptou à ingestão de bambu com o tempo. Por ter o aparelho digestivo (ou digestório!) estruturalmente preparado para a digestão da carne, ele somente consegue processar um terço da vegetação que consome. Assim, ele precisa comer imensas quantidades de bambu e outras plantas para conseguir toda a energia de que necessita.

No vídeo, os pandas que vivem na reserva chinesa de Wolong, autora de um trabalho único e valiosíssimo para a preservação dessa espécie.

Índia e o mundo – breve cronologia

fevereiro 7th, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Índia e o mundo – breve cronologia)

Muitas dúvidas aparecem quando começamos a estudar os textos e a filosofia do yoga.

Estabelecer a ordem cronológica entre os fatos históricos é de grande utilidade para visualizarmos um panorama mais abrangente do pensamento humano.

Tomando como base principalmente duas fontes  – “A tradição do Yoga” de Georg Feuerstein e Wikipedia – construí a resumida linha do tempo acima como auxílio para meus estudos. Escolhi livremente alguns filósofos ocidentais e personagens históricos que considero importantes para se traçar um paralelo entre esses dois polos de conhecimento.

Uma observação importante sobre a data dos Yoga Sutras de Patanjali. Como todo documento clássico e antigo em sânscrito, sua datação é bastante difícil. A maioria dos acadêmicos o data logo nos dois primeiro séculos DC. Mas há outros que o colocam até alguns séculos AC. Há um único consenso, no entanto, de que a obra não foi elaborada após o século 5 DC.

Compartilho com vocês, então, a minha linha do tempo “Índia e o mundo – Cronologia (baixe a versão em PDF)” e espero que ela seja de alguma ajuda para a formação de um esquema mais claro sobre o desenvolvimento do pensamento indiano em paralelo com o pensamento filosófico ocidental durante determinados períodos da História.

Felicidade é prometer e cumprir

fevereiro 3rd, 2012 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Felicidade é prometer e cumprir)

Tantas são as definições de felicidade, tamanhas são as diferenças entre elas…

Afinal, qual verbo devo utilizar quando me refiro a ela: ser ou estar? Estou feliz ou sou feliz?

Busco a felicidade ou, inerte, aguardo um eventual momento quando ela me tomará de supetão?

Pensar sobre a felicidade é afastá-la de si. Pena. Agora já é tarde…

Transcrevo um trecho onde Nietzsche fala sobre o amor. Porém, a grande questão são as promessas e os compromissos. Prometer e cumprir não seria a pura felicidade?

Pode-se prometer ações, mas não sentimentos, pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre ou odiá-lo sempre, ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; mas o que se pode perfeitamente prometer são aquelas ações que, na verdade, são geralmente as consequências do amor, do ódio, da felicidade, mas que também podem emanar de outras razões, pois a uma ação conduzem diversos caminhos e motivos. A promessa de amar sempre alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, manifestar-te-ei as ações do amor; se eu já não te amar, pois, não obstante, receberás para sempre de mim as mesmas ações, ainda que por outros motivos. De modo que a aparência de que o amor estaria inalterado e continuaria sendo o mesmo permanece na cabeça das outras pessoas. Promete-se, por conseguinte, a persistência do amor, quando, sem ilusão, se promete a alguém amor perpétuo.

Nietzsche, “Humano, Demasiado Humano

Fonte : joycebc.blogspot.com/2012/01/nietzsche-pensou-e-citou.html

Quero prometer aquilo que posso cumprir.

Tenho notado que aquilo que mais me causa inquietude é a quebra dos meus compromissos.

Muito daquilo a que me proponho não é baseado em mim, mas no outro. Num outro de mim, um outro ideal, quem eu gostaria de ser, mas não sou.

Da mesma forma que não se pode prometer tocar axé com um violão, não se pode pretender tocar bossa-nova com um instrumento de percussão. No fim, a grande felicidade da vida talvez seja descobrir aquilo que você carrega: um violão ou um atabaque.

E o que seria isso senão svadhyaya?