Yoga. Espiritualidade. Corpo.
Header

Dia Internacional da Mulher: cultive a pureza

março 8th, 2013 | Posted by Ana Toledo in Sem categoria

lotus-flower

Foto: flowerinfo.org/lotus-flowers

A pureza feminina é retratada na literatura e no imaginário coletivo com frequência. Parece-me que é uma característica ligada basicamente às mulheres…imposta a elas quase com exclusividade.

Definido pelo filósofo francês André Comte-Sponville:

O puro não vê o mal em parte alguma ou, antes, apenas onde ele se encontra, onde o sofre: no egoísmo, na crueza, na maldade. É impuro tudo o que se faz de má vontade, ou com vontade má. É por isso que somos impuros, quase sempre, e é por isso que a pureza é uma virtude: o eu só é puro quando está purificado de si. O ego suja tudo aquilo em que toca.

Sponville

Acho sublime esta definição…o puro não é aquele que não vê o mal, mas é aquele que somente vê o mal onde ele de fato existe. Não confundi-lo com o ingênuo, com o néscio.

Cultivar a pureza é desapegar-se de si, é o amor desinteressado, é a vontade sem violência…

Até agora não se fez a distinção entre pureza masculina ou feminina, pois esta é uma virtude do coração. O olhar puro reconhece tudo que avilta, sobrepuja, rebaixa, domina, ignorando gêneros ou qualquer outra classificação artificial.

Nada mais distante da pureza do que casos como da indiana de 23 anos estuprada e morta dentro de um ônibus na Índia no final do ano passado e de todas as mulheres que são submetidas a todo tipo de violência sexual ou moral. Elas descrevem, quando ousam, o sentimento de terem sido maculadas, humilhadas, sujadas. As próprias palavras denunciam a virtude desprezada e esquecida.

Que neste Dia Internacional da Mulher, homens e mulheres, envoltos neste mundo intrinsecamente impuro, proponham-se a cultivar  – com igual responsabilidade e vontade – corações puros.

 

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.