Yoga. Espiritualidade. Corpo.
Header

A lojinha do Instituto

novembro 27th, 2014 | Posted by Ana C Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em A lojinha do Instituto)

Acessórios e livros

 

Hora de fazer a mala e acomodar todos os acessórios e livros aos quais não conseguimos resistir.

Todos os acessórios estão disponíveis na lojinha do Instituto por preços bem razoáveis. Além deles, todos os livros da família Iyengar e uma infinidade de CD’s e DVD’s (inclusive um DVD com todas as aulas do mês de Prashant e Geeta) completam o estoque.

Resumindo, é difícil passar um mês aqui sem deixar uma boa quantidade de rúpias na lojinha.

Falando em compras, há também um pequeno comércio em torno do Instituto. Um dólar vale 60 rúpias, tornando a Índia uma tentação. Camisetas a Rs 300 são quase unanimidade entre os praticantes. Há shorts, imagens, papelaria, mais blusas, tudo disponível do lado de fora.

Por isso, traga malas vazias para cá porque, no final, garanto que faltará espaço para tudo que você vai querer levar!

Gulnaaz Dashti

Gulnaaz Dashti com BKS Iyengar

 

Todas as quartas, temos aulas com a professora Gulnaaz Dashti.

Já tinha ouvido falar da professora Gulnaaz, meio por alto, principalmente porque ela coordena um Centro de Yoga aqui em Puna onde alguns alunos fazem aulas extras às vezes.

Gulnaaz une didática, agilidade e leveza criando um estilo próprio de ensinar. Como Gulnaaz é assistente de Geetaji em suas aulas, ela esmiuça os ensinamentos de Geeta, levando em conta as dificuldades que observa. Por exemplo, na aula de extensões para trás, ela utilizou posturas como Gomukasana, Parsvottanasana, Salabhasana, Parsva Salabhasana, Dhanurasana para esclarecer pontos obscuros da prática da grande maioria. Embora as posturas sejam feitas em sequência rápida, há sempre algumas historinhas divertidas que nos trazem um tempinho de descanso.

Segundo ela, estávamos com muitos problemas para abrir a região do peito na altura das clavículas, próxima ao ombro. Posso dizer que funcionou muito bem pois cheguei até a melhor Ustrasana que eu me lembre de ter feito até hoje.

Dona do mais claro inglês dentre todos os professores do Instituto, a professora Gulnaaz nos conduz sempre com vivacidade e alegria, sempre sorrindo, durante as duas horas em que estudamos com ela. Excelente surpresa!


Como já havia escrito o trecho acima, decidi não corrigi-lo e fazer este adendo.

Hoje, semana de pranayama, a aula de quarta foi guiada pela professora Rajlaxmi que aparece na vídeo abaixo em um workshop no Chile no ano passado.

Outra excelente aula, dinâmica e muito objetiva. Entre todos os professores que vi, talvez esta seja a professora que mais caminha entre os alunos e os corrige. Na verdade, ela corrige todos. Seu profundo conhecimento das posturas e de anatomia é nítido durante suas explicações.

Muito simples e gentil, na prática pessoal já me ajudou e a outras pessoas com bastante boa vontade.  Super experiente e segura…

Guardarei um ensinamento muito valioso compartilhado hoje: sempre que deitado, para acertar a posição da cabeça, observar que a orelha inferior (mais perto do pescoço) deve estar mais perto do suporte, ou do chão, do que a superior. A mesma sensação deve estar presente nas duas orelhas. Se a cabeça estiver torta, como costumo fazer, a sensação será bem diferente entre um lado e outro.

Uma aula com Geeta Iyengar

novembro 20th, 2014 | Posted by Ana C Toledo in Sem categoria - (6 Comments)
Geeta Iyengar

Geeta Iyengar

 

Todos com quem conversamos sempre dizem que demos muita sorte. Geeta Iyengar não dava aulas há vários meses, pelo que entendi, por causa dos cuidados que Guruji vinha exigindo.

Foi um acontecimento quando, na primeira segunda-feira deste mês, arrumaram o palco para recebê-la. Ouvi um rápido burburinho na sala, um indiano se virou surpreso e me disse, mal contendo sua alegria: “Acho que Geetaji vai dar a aula de hoje!”. Estava certo.

Durante as três últimas semanas, temos tido a felicidade de sermos guiados por ela três vezes na semana: duas aulas tradicionais e uma de pranayama.

É visível que sua energia vem crescendo desde o encontro inicial. Sua voz, sua postura, seu andar se fortificam a cada dia. Seu ensino e ritmo têm ficado mais dinâmicos e enérgicos, adjetivos que a qualificam muito bem. Nada escapa a seu olhar. Nadinha.

Geetaji vem nos presenteando com comentários, vivências e sequências incríveis. Na última aula, por exemplo, durante a execução de dhanurasana, percebeu que uma aluna, lá no fim da sala, não estava fazendo a postura. Perguntou o porquê e a aluna respondeu que havia machucado o joelho e completou dizendo : “Não fiz porque eu estou morrendo de medo.” Então, Geetaji disse: “Excelente resposta!” e nos brindou com uma análise tão clara sobre abhinivesa, nosso medo, como ele nos impede de seguir adiante…posso dizer que a aluna acabou fazendo a postura, confiante nas palavras de Geetaji.

Durante os 10 primeiros dias de dezembro, Geeta Iyengar terá um grande desafio pela frente. Em comemoração a seu aniversário de 70 anos, um imenso encontro está sendo organizado aqui em Puna. Ouvi dizer que são aguardadas aproximadamente 2000 pessoas vindas de todo o mundo. Serão 10 dias memoráveis que espero poder acompanhar um pouquinho pelas redes sociais e, depois, pelo DVD que será comercializado. No meu último dia aqui, verei todos chegando para a inscrição no Instituto e tiro algumas fotos do movimento para compartilhar com vocês.

P.S.: A foto que ilustra este artigo não é atual, mas a escolhi porque esse jeitinho da mão, que lhe é peculiar, vai ficar aqui registrado, impedindo que se perca na minha memória.

 

Conversa com Prashant Iyengar

novembro 17th, 2014 | Posted by Ana C Toledo in Sem categoria - (2 Comments)

Prashant Iyengar

Quando a Isa, uma das minhas três incríveis parceiras de viagem, disse que Prashantji estaria disponível para tirar dúvidas, fiquei bastante animada! Excelente oportunidade para falar sobre o novo ministério do Yoga criado pelo Primeiro Ministro Narendra Modi e sobre outros assuntos relacionados à prática e que não estavam tão claros para nós.

Marcamos um horário no Instituto e fomos recebidas com paciência, simplicidade e muito bom-humor.

Sobre a criação do ministério, não o senti muito entusiasmado. Ressaltou que o Yoga é mantido por seus praticantes e seus mestres, e atos humanos, mesmo bem intencionados, não têm o poder de interferir na sua evolução. Depois de uma breve pausa, contou uma curta historinha (Prashantji é o mestre das metáforas!): um homem pode fazer um doce delicioso, mas, dependendo do que for feito do doce, como ele for conservado, o que ele pode atrair, no fim, são só moscas. E sorriu.

A pergunta seguinte foi sobre a impressão que temos aqui de que os professores corrigem menos os alunos, utilizando pouco os acessórios, permitindo que as posturas sejam executadas de forma mais livre. Segundo Prashant Iyengar, ao aluno iniciante deve ser dado tempo para que aprenda e assimile as posturas. A postura perfeita, certa, não existe. A ação certa não existe. Isso cria, e concordo com ele, uma obsessão pela correção infinita o que é muito desgastante. Disse que devemos sim evitar as ações erradas, que não nos levam a uma concentração(**) maior da mente, em vez de só perseguir a postura perfeita, correta, sendo esse o princípio que norteia suas aulas.

Exemplificou assim: dobrar a perna em Trikonasana, quando jovem, é uma ação errada. Para um idoso, isso já não vale, pois o corpo não mais permite sua total extensão. Conclui que as ações erradas também vão se transformando. Conceito estimulante, pois exige o auto-estudo constante, e fortalecedor, porque nos prepara para as tão naturais transformações pelas quais todos passaremos.

Continuou dizendo que o estado de integração, que somente encontramos no Yoga, não pode acontecer em aula porque o professor interrompe nosso diálogo interno. É seu trabalho. Nem é possível quando praticamos em conjunto porque nunca despimos por completo nossas máscaras na frente de outra pessoa. A integração referida acontecerá através da prática solitária, ininterrupta e verdadeira. Mas é na aula onde aprendemos a tecnologia para que essa vivência possa ocorrer.

Por fim, como havia dito, pedi-lhe um autógrafo. Com um largo sorriso, assinou os nossos livros e nos despedimos.

Fiquei emocionada quando ele assinou meu livro, devo compartilhar com vocês. Naquele momento, até perguntei quem seria seu herdeiro ou sucessor. Ele respondeu que leciona há mais de 40 anos, tendo formado alguns grandes professores, e mencionou os nomes de Arun e Swati Chanchani.

Aproveito, por fim, para compartilhar um artigo de sua autoria que traz uma luz especial sobre a expiração. Afinal, expirar não é tão simples assim como tenho percebido ultimamente… Leia o excelente artigo no site da Associação Americana de Iyengar Yoga.

(**) Na primeira versão deste artigo, utilizei esta palavra – concentração – mas não é a adequada. O Yoga não prega a concentração, mas a circunspecção. Pela definição do dicionário Aurélio, a circunspecção é o exame do todo, dos vários aspectos, dos diferentes ângulos. Em vez de focar em um só ponto, o Yoga busca a consciência do todo.

Primeira aula com Prashant Iyengar

novembro 13th, 2014 | Posted by Ana C Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Primeira aula com Prashant Iyengar)
chittavijnana of Yogasanas de Prashant Iyengar

chittavijnana of Yogasanas de Prashant Iyengar

As aulas com Prashant Iyengar são diferentes.

Ele mesmo diz que escolhe posturas simples, de conhecimento de todos, para que não precise utilizar comando algum. Todos sabem o que devem fazer e o aprendizado deve ser outro, mais sutil.

Prashant é um orador. Sua aula é rica em imagens e histórias.

Os ouvidos vão se acostumando ao inglês indiano e a cada parada (quando ele diz “Come close!”) nós vamos sendo convocados a encarar a prática com outro olhar: observando os efeitos da respiração e a influência do enfoque que queremos dar sobre cada postura, o diálogo que devemos travar com nós mesmos para aprofundamento da prática, a importância do estudo da filosofia…

Após a primeira aula (que adorei!) fiquei com algumas dúvidas sobre alguns dos termos empregados naquele contexto: kriyas e mudras, por exemplo.

Mas nada que uma boa leitura não pudesse resolver!

Por isso, se você vem para Puna fazer aulas de Prashantji ou se você quer ter uma visão extremamente clara do que significa a prática de asanas, super recomendo a leitura do livro Chittavijnana of Yogasanas. Comprei o livro na lojinha do Instituto (isso vai merecer um artigo em separado: as comprinhas na lojinha!)

Este é daqueles livros que você deve ler, reler e reler. Muita informação de forma bem concisa.

Estou até pensando em pedir um autógrafo para ele porque realmente amei esse livro. Assim que conseguir, mostro para vocês!

Asanas are by the body, for the chitta.

Prashant Iyengar 

Narendra Modi

Narendra Modi

O primeiro ministro indiano Narendra Modi acaba de criar um novo ministério dedicado ao Yoga e Ayurveda.

A área, antes subordinada ao Ministério da Saúde, tornou-se independente e inclui ainda entre suas atribuições a Naturopatia, a Homeopatia, Unani e Siddha.

Modi já discursou na ONU defendendo a criação de um Dia Internacional de Yoga e acredita que a disseminação dessa prática poderia alterar os rumos do planeta, tanto transformando as relações interpessoais quanto o tratamento dos desafios ambientais, como as evidentes mudanças climáticas.

O líder indiano, que pratica Yoga todos os dias, nunca perde a oportunidade de expressar seu especial interesse nas tradicionais formas indianas de práticas físicas, espirituais e mentais.

“Yoga embodies unity of mind and body; thought and action; restraint and fulfilment; harmony between man and nature; a holistic approach to health and well-being,” 

Narendra Modi

Como já escrevi semana passada, todos com quem eu falo aqui na Índia (estou em Puna durante este mês de novembro para os que ainda não sabem!) estão esperançosos com os esforços do novo primeiro ministro.

Vou averiguar melhor o impacto deste novo ministério entre os indianos e compartilho com vocês em seguida!

Estudando Iyengar Yoga em Puna na Índia

novembro 11th, 2014 | Posted by Ana C Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Estudando Iyengar Yoga em Puna na Índia)
Vista lateral do Instituto em Puna

Vista lateral do Instituto em Puna

Na grande maioria das vezes, quando dizia que viria para Puna estudar Yoga, as pessoas me olhavam com surpresa. Se louca, ou corajosa, ou sem-noção, nunca descobrirei o adjetivo que pensavam por trás dos olhos arregalados. Ainda bem.

Em outros poucos casos, quando o diálogo se passava com alguém que possuía alguma noção do que poderia ser isso, a pergunta era: “Você vai para um ashram? Você vai ficar no Osho em Puna?”

Não. Não estou no Osho. Não. Não estou em um ashram.

O planejamento da estadia aqui começa, pelo menos, uns 2 anos antes. A minha começou há uns três.

Para poder passar um mês estudando no Instituto de Iyengar Yoga aqui em Puna o praticante precisa ser aceito. É necessário o envio de uma carta assinada por um professor certificado e graduado atestando seus anos de prática e sua assiduidade nas aulas e nos cursos promovidos em seu país de origem.

Enviada a carta, espera-se a confirmação de disponibilidade na data pretendida. Como a procura é grande, quanto antes enviar, melhor. Como disse, fiz isso há mais de três anos.

Ser aceito no Instituto significa que você receberá uma tabela, logo na chegada, com as aulas que poderá frequentar e com o horário para a prática pessoal diária que dura, em média, três horas. Além disso, você pode estudar na biblioteca e assistir a outras aulas como, por exemplo, as aulas médicas.

O Instituto é uma escola. Não fazemos retiro. Não estamos confinados em lugar algum. Não temos uniforme.

A maioria de nós se hospeda em apartamentos simples alugados na região. Quando digo simples, são simples mesmo. Nenhum luxo. Confesso que no primeiro dia, estranhei. Agora, virou um oásis: a minha casa!

Enfim, nossa rotina é como a de qualquer pessoa que faz um curso fora: estudo, passeios curtos e mais estudo.

Aliás, ontem, fui conhecer os jardins do ashram do Osho. Bem bonito.

 

Ramamani Iyengar Memorial Yoga Institute em novembro de 2014

novembro 7th, 2014 | Posted by Ana C Toledo in Sem categoria - (Comentários desativados em Ramamani Iyengar Memorial Yoga Institute em novembro de 2014)

 

Primeira colagem da Índia

Colagem da Índia

 

Este é o nome do nosso instituto localizado em Puna na Índia, lugar em que passarei todo o mês de novembro.

O instituto é menor do que imaginei. Sua rua, mais agradável do que eu pensava. O trânsito no país, pior do que esperado. A comida, anos luz melhor do que poderia sonhar!

Puna, embora sofra bastante com a poluição como quase todo o país, acolheu-nos com tranquilidade…talvez indiferença, o que é melhor ainda. Misturamo-nos com a confusão dos tuktuks, com os saris coloridos e brilhantes, com os cachorros de rua, com os olhos expressivos das crianças, com os temperos deliciosos. Tudo embaixo do céu cinzento. Não me lembro de ter visto, incluindo nossa passagem de 10 dias pelo Rajastão, um dia de céu azul como temos no Brasil.

A terra, explorada há milhares de anos, resiste, mesmo que tão judiada pelas queimadas e pelo lixo. Todos estão esperançosos com o novo primeiro ministro e sua promessa de limpar a Índia em cinco anos. Será um desafio neste país onde as castas se distinguem por suas funções determinadas. Afinal quem fará a super faxina? Só os que nasceram para isso e têm essa função? Um entre tantos desafios que acompanharei de perto.

Quanto à prática de yoga, ao Instituto, à primeira aula de Geetaji em vários meses, aos ensinamentos de Prashant, à tão emocionante aula das crianças e à caótica mas incrível aula médica, vou escrevendo aos poucos.

O tempo aqui é curto.

Prática agora de 9h até 12h. Pranayama de tarde. Abhyanga no intervalo porque ninguém é de ferro e os óleos aqui são divinos!